Mulher mata marido e queima o corpo na latrina em Tete

Uma mulher é acusada de ter morto, quinta-feira, o seu próprio marido, tendo posteriormente depositado os restos mortais do corpo incinerado na latrina, na sede do distrito do Zumbo, na província de Tete

Em conexão com o homicídio voluntário, a Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve a cidadã, que responde pelo nome de Khecilini Vicente, de 30 anos de idade, natural do distrito de Zumbo e residente no bairro Lusaka, na sede distrital.

Trata-se Braiton Salikosse Djamo, de 38 anos de idade, vítima do homicídio.

A presumível criminosa explicou que matou o seu marido por meio de cabo de machado, numa briga que aconteceu no quarto, numa altura em que a vítima se encontrava em estado de embriaguez.

“Ele, o marido, foi o primeiro a me ameaçar de morte, por questões passionais. Acusou-me de estar a manter relações amorosas com um senhor, que não é verdade. Quando lançou o cabo, eu encaixei e devolvi em jeito da minha própria defesa, mas acabou ferindo na cabeça. A briga acabou, só que eu descobri que ele nunca mais acordava”, explicou.

Notei que já estava morto. Fiquei com o corpo durante dois dias no quarto, porque tinha medo de ser presa pela Polícia”, contou Khecilini.

Acrescentou que “quando era meia-noite, altura em que já não havia movimento de pessoas, levei o corpo para uma mata, onde eu tinha juntado lenha e capim. Queimei o corpo para não ser descoberto e fui deitar na latrina”.

O comandante distrital da PRM, no Zumbo, Domingos Omar, confirmou a ocorrência do homicídio voluntário.

Explicou que a Polícia foi alertada por populares sobre o desaparecimento do marido daquela mulher, a partir de suspeitas, após terem acompanhado a briga na sua casa.

“Estamos já a averiguar com pormenores o caso”, garantiu o comandante

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *